Palmeiras e Crefisa anunciam renovação que pode render R$ 410 milhões até 2021

de Globo Esporte

O maior patrocínio da América Latina. Foi assim que o Palmeiras anunciou nesta quarta-feira as renovações de contrato com a Crefisa e a FAM (Faculdade das Américas). Em evento realizado na Academia de Futebol, Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, e Leila Pereira, presidente das empresas, enalteceram a parceria que pode render ao clube cerca de R$ 410 milhões até 2021.

Além dos R$ 81 milhões anuais, o clube vai embolsar R$ 15 milhões de luvas pela assinatura do contrato e terá direito a bonificações por metas (que podem render mais cerca de R$ 34 milhões por ano).

Outros R$ 6,8 milhões serão pagos pela empresa por "propriedades de marketing" (Leila não especificou quais serão). A empresa foi responsável pelo pagamento de salários de jogadores como Lucas Lima e Miguel Borja, por exemplo.

– Naquele momento (2015, início da parceria), o Palmeiras estava numa situação difícil. Atravessamos muito provavelmente a maior crise financeira e esportiva da história do Palmeiras. Iniciamos a reconstrução do nosso clube. Naquele momento assinamos o primeiro contrato com a Crefisa, depois com a FAM. Esse contrato passou a ser uma grande parceria. São quatro anos e três títulos nacionais. Hoje o Palmeiras é um clube referência. A participação dos nossos parceiros foi muito grande para que o clube pudesse alcançar o patamar que alcançamos hoje – afirmou o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte.

– É uma parceria diferente, é um patrocínio extremamente importante. Até hoje é o maior da América Latina – completou o dirigente.